Cuiabá, 18 de Outubro de 2017

Política

Gaeco garante à deputada que grampos ilegais não foram determinados pelo órgão

Por: Aline Brito
Fonte: Da redação

Foto de Reprodução

O Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco) garantiu,  nesta quinta-feira (18), para a deputada Janaina Riva (PMDB), que os telefones da parlamentar não foram grampeados pelo sistema guardião utilizado pelo órgão.

Janaina encaminhou um ofício ao Ministério Público Estadual (MPE) questionando se foram promotores ligados ao Gaeco que pediram a quebra de seus sigilos telefônicos ou se o monitoramento foi realizado pelo sistema de escutas disponível na sede do Ministério Público.

Em resposta à parlamentar, o coordenador do Gaeco, promotor Marcos Bulhões dos Santos, encaminhou uma certidão para deputada onde atesta que os telefones da parlamentar não foram grampeados pelo sistema guardião órgão.

Com base na resposta, Janaina reforçou que as escutas telefônicas ilegais partiram de outros equipamentos. “Os equipamentos foram comprados por Lesco (coronel Evandro Lesco, chefe da Casa Militar do Governo) em 2015, pelo valor de R$ 24 mil. Apesar de ter comprado em seu próprio nome, ele pediu que os equipamentos fossem entregues ao Comando Geral da Polícia Militar do Estado”, acusa Janaina, em nota encaminhada para a imprensa.

Para a parlamentar, com esse tipo de prova fica cada vez mais claro que as escutas ilegais foram determinadas pelo governo estadual.