Cuiabá, 22 de Novembro de 2017

Opinião

Com quem você se identifica: a barata ou o elefante?

Por: Cynthia Lemos

Foto de Divulgação assessoria

"Os elefantes demoram a se adaptar.

Já as baratas sobrevivem em qualquer ambiente."

Já dizia Peter Druker, considerado o pai da administração moderna.

Não há dúvidas que a capacidade de adaptação é uma competência essencial em qualquer ambiente organizacional. Afinal uma organização é viva e dinâmica, e permanecer assim, significa ser "amiga" da mudança para continuar a crescer e se manter no mercado.

Porém se adaptar é uma competência incrível que precisa ter embutida em si valor, pois se adaptar a qualquer custo ou de qualquer forma, talvez signifique se anular, ser medíocre e impessoal.

Estive há alguns dias com um profissional, vamos chamá-lo aqui pelo nome de Joel...

Joel está prestes a ser desligado da empresa onde trabalha. Motivo: já passou por vários setores da empresa e não desempenhou bem suas tarefas. Aliás, desempenhou pessimamente, mas alguém tinha que fazer o que ele fazia, e como ele não reclamava, era meio apagado, escondido, foi ficando, despercebido. Como uma boa barata, ele esteve em todos os lugares sem questionar, forte.

A empresa como último recurso para “salvá-lo”, resolveu remanejá-lo para o setor operacional, mas antes disso, me pediu uma análise de seu perfil profissional, para que não houvesse novo erro de mudança. No meio da conversa com Joel, ele disse: "eu não gosto do setor que estou, eu me sinto preso, eu não estou me sentindo bem ali."

Maravilha! - pensei comigo, uma atitude, um manifestar surgiu aí. Alguém que mostra que deseja sim se adaptar, mas que tem seus valores, suas preferências e entende, que respeitar e negociar isso com a empresa significa um ganho para ambos! Yesss!

E aqui digo a você profissional:

Tenha certeza de que participar, opinar e contribuir para a empresa na qual trabalha de forma franca e coerente consigo mesmo e seus valores, lhe trará resultados incríveis; pois não há como ser produtivo ou obter bons resultados como uma barata, que está em qualquer lugar por mais inadequado que seja, só para garantir a sua sobrevivência, ou, o emprego.

E você empresário:

Tenha certeza de que ter um profissional que se expressa, se posiciona, que mostra quais os lugares, onde ele não cabe, pois seu tamanho não permite, talvez por não ter a habilidade ainda e precisar buscar, ou por não concordar com uma ideia e querer contribuir com outro ponto de vista, ou por saber que naquele lugar não conseguirá entregar o resultado que a empresa precisa, talvez como um elefante, esse profissional tem valor, esse está com você gestor, gerindo a empresa.

O empresário deve compreender que gerir um negócio, fazer uma empresa crescer depende de estratégias, depende de "elefantes" que participem e ajudem a tomar decisão e que tenham em mente, que crescer profissionalmente significa contribuir para que pessoas e negócio tenham resultados.

Voltando ao Joel:

Depois de 3 anos de empresa, considerado como o profissional bonzinho, pau pra toda obra, fácil de lidar e que não dava trabalho... já não servia mais, não dava mais para ter o que não dava trabalho sem resultados diante da situação atual do mercado! Há 3 anos como auxiliar de muita coisa, de muitos setores, a empresa resolveu assumir sua parte: Vamos analisar seu perfil e tomar a última decisão, não dá mais. Afinal é resultado que garante no mínimo a sobrevivência de uma empresa. E ali ela precisava assumir responsabilidade. Agora é com Joel, que vai precisar assumir sua parte. Não mais como barata. O bonzinho "pau para toda obra" não serve mais, talvez por que neste mercado também tem concorrência, e hoje dentro do quadro talvez tenham outros "bonzinhos" mais produtivos.

Assim, o que estou querendo mostrar pra você é que toda a escolha tem consequências.

Quem você quer ser na empresa onde trabalha? Bonzinho? Ser conhecido como:

"É limitado, mas não incomoda; e por enquanto o que ele faz precisa ser feito e ele se propõe a tudo que pedimos sem incomodar."

Até para estar nesse lugar do bonzinho, saiba, você tem que evoluir, desempenhar, pois talvez outros bonzinhos melhores, ou medíocres a menos, podem tomar seu lugar.

Agora você escolhe de que forma quer ser:

Barata ou Elefante?

Todas requerem adaptação, mudança, evolução e tem consequências!

Cynthia Lemos é Psicóloga Empresarial e Coach na Grandy Desenvolvimento Humano. Especialista no Desenvolvimento de Líderes e Empresas tem a missão de: Expandir a Consciência e Gerar Ações Transformadoras – para pessoas e empresas que desejam evoluir em seus projetos e objetivos.  Email:cynthia@grandy.com.br