Cuiabá, 18 de Outubro de 2017

Opinião

Os problemas da ansiedade na vida cotidiana

Por: Fábio Rodrigues

Foto de Reprodução

A rotina está cada vez mais dinâmica e acelerada, vivemos numa sociedade completamente vivida por resultados rápidos... Esperamos o e-mail que não chega com a velocidade que desejamos, aguardamos angustiados a resposta da mensagem instantânea recém-enviada e ficamos cuidando cada vibrar do celular, o computador que demora para iniciar, paciência, resiliência a frustrações, estão se tornando meras suposições no nosso cotidiano.

A ansiedade é tão comum a todos nós seres humanos, mas precisamos sempre ficar atentos para que ela não se torne patológica, aparecendo em diversas situações do dia a dia sendo considerada exacerbada em relação ao risco ou perigo real gerado pela situação, quando essa ansiedade aparece a luz vermelha de alerda se acende, afinal ela traz limitações e compromete o individuo como um todo.

É necessário explicar a “nada sutil” diferença de um ansioso normal e um patológico. O ansioso normal é aquele que consegue dominar e controlar a ansiedade. Já o patológico é controlado pela ansiedade que o limita chegando a travá-lo, gerando perdas significativas no seu dia a dia.

Para o ansioso simples ato de esperar passa é complexo, minutos transformam-se em eternidade, e é o momento em que o cérebro trabalha acelerado criando situações.

Os principais sintomas fisiológicos mais comuns para a ansiedade patológica (transtornos de ansiedade) são: aumento da frequência cardíaca, palpitações, falta de ar, respiração rápida, boca seca, dor ou pressão no peito, sensação de sufocação, tontura sensação de cabeça vazia, náusea, dor de estômago, diarreia, tremor agitação, rigidez, formigamento nos braços, nas pernas, tensão muscular, fraqueza, desmaio. Os sintomas cognitivos (relativo ao processo mental de percepção), medo de perder o controle, de ser incapaz, medo de ferimento físico, morte, medo da avaliação negativa pelos outros, etc...

É possível sim promover um tratamento que melhore significativamente esse problema, fazendo com que se viva melhor, pois o ansioso sofre, e muito, com o processo vivido. Devemos sempre ficar atentos, pois a ansiedade em grau elevado pode comprometer as atividades diárias do indivíduo, desencadeando problemas físicos, psicológicos e comportamentais.

Fábio Rodrigues Corrêa, psicólogo Clínico e Organizacional, atua no atendimento clínico com base em Terapia Cognitiva Comportamental, junto a pessoas e organizações que visam qualidade de vida e saúde mental dos seus colaboradores. Graduado e certificado como Psicólogo pela UNIC Rondonópolis, Pós-graduado em Liderança e Coaching pela UNIC, em Gestão de Pessoas e Rotinas Trabalhistas pelo IBG, em Psicologia Positiva e Coaching e Gestão de Pessoas com Coaching, pelo Instituto Brasileiro de Coaching. Pós-Graduando em Especialização em Terapia Cognitiva Comportamental, pelo Instituto WP, em Formação do Curso de Constelação Organizacional com foco em Coaching Sistêmico pela Infosyon.

Contato: (65) 99981-4327 – Email: fabiorodriguespsi@hotmail.com