Cuiabá, 28 de Maio de 2017

Opinião

Nosso Mato Grosso

Por: Onofre Ribeiro

Mato Grosso acaba de completar 269 anos depois de sua criação, no distante 9 de maio de 1748. Outro tempo inconcebível aos olhos de hoje. Mais do que recordar a data trata-se de situar aquele tempo na História.

O Brasil em 1748 era uma colônia explorada literalmente pela colônia portuguesa e sem qualquer expressão no mundo de então. A parte oeste que hoje somos, pertencia à Espanha, vigiada pelos jesuítas espanhóis, o braço aramado da Igreja Católica.

O avanço português, alguns dizem proposital, outros que por aventureiros em busca de índios e de ouro avançaram além da linha de Tordesilhas que viria ser extinta em 1777. O avanço estava feito e a colônia portuguesa expandida a Oeste. Como a independência só viria acontecer em 1822, neste tempo, a província de Mato Grosso pertenceu à de São Paulo e se libertou em 1823.

Grande território. Ia do extremo Sul na divisa do rio Paraná até a atual Rondônia. De tombo em tombo Mato Grosso veio se firmando a duras penas perdido no coração de um Centro-Oeste brasileiro completamente isolado do Brasil litorâneo.

Em 1956 o início da construção de Brasília quebrou essa inércia e virou o eixo de contato tradicional com o Rio de Janeiro para o próprio Centro-Oeste. Na década de 1970 alguns fatos se encadearam-se e mudaram esse isolamento. No começo da década, o governo federal militar decide ocupar a vazia Amazônia. Outro ponto, foi que para isso optou-se pelo estímulo a migrantes vindos do Sul e do Sudeste em larga escala.

Outro episódio marcante foi a divisão do Estado, separando a região Sul e nela criando o estado de Mato Grosso do Sul. Com isso o foco de Mato Grosso passou a ser só na sua vasta região de 906 mil km2. Antes era de 1 milhão e 200 mil km2. População pequena, muitos problemas.

As migrações a partir de 1973 aumentaram a população de 600 mil para 1 milhão 139 em 1980 até os atuais 3 milhões 224 mil habitantes. Mas trouxeram junto tecnologia e uma experiência européia do Sul, mas que viera junto com seus ancestrais no fim do século 19 e começo do século 20, com os imigrantes europeus.

Quando se olha hoje o atual Mato Grosso percebe-se que uma monumental História foi construída nesses 269 anos.

Contudo, olhar pra frente é a meta.

Esse esforço monumental será dos governantes, das instituições públicas e privadas, além da própria sociedade. Não gostaria de entrar em números neste artigo, mas posso citar en passant  a profecia de Dom Bosco, escrita na Itália em 1895 que previa um dia uma nova civilização nascendo nesse território geográfico. Segundo ele, “a terra de uma riqueza inconcebível, onde jorrará o leito e o mel...”.

Mas essa é outra conversa. Por ora, parabéns, velho e novo Mato Grosso!

Onofre Ribeiro é jornalista em Mato Grosso - onofreribeiro@onofreribeiro.com.br   www.onofreribeiro.com.br