Cuiabá, 21 de Novembro de 2017

Polícia

Mulher é presa em condomínio de luxo acusada de comandar tráfico em Cuiabá

Por: Aline Brito
Fonte: Da redação

Foto de Divulgação PJC

Yulli Carla Macedo foi presa pela Polícia Civil, na manhã desta quarta-feira (04) acusada de comandar o tráfico de drogas em vários bairros de Cuiabá.

A mulher foi presa durante a Operação Campo Minado, deflagrada pela Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecentes (DRE), nesta quarta.

De acordo com o delegado Frederico Murta, Yulli morava no o Alphaville I, um dos condomínios mais luxuosos da capital, no bairro Jardim Itália.

Segundo o delegado, Yullii começou a ser investigada há seis meses depois que a polícia recebeu vária denúncia informando que a mulher passou a comandar o tráfico de drogas na região depois da morte do marido, Enatel dos Santos Albernaz, 37 anos, conhecido como "Maninho".

Conforme as investigações, a mulher é dona várias residências e apartamentos na capital, que teriam sido adquiridas com dinheiro do tráfico.

“De acordo com o que foi apurado, ela tomou frente do negócio como gerente. Ela injetava o dinheiro para a compra da droga, tinha voz de comando sobre os demais, dava o aval se podia ou não ser feita a negociação. Ela era muito cautelosa, nunca tocava na droga, agia como os grandes traficantes”, ressaltou o delegado ao afirmar que a investigação começou há seis meses.

Além de Yulli, outras 53 pessoas foram presas por participação na quadrilha. Entre eles, um técnico socioeducativo lotado no Centro de Ressocialização do Complexo do Pomeri. Também foram apreendidos seis carros, R$ 6,6 mil em dinheiro, um revólver calibre 38, 40 munições e 15 quilos de maconha.

Os policiais ainda encontraram nove porções de cocaína, 65 de maconha, 34 de pasta-base, duas de crack e um rádio HT.

O delegado Frederico explica ainda que a quadrilha comprava a droga na fronteira de Mato Grosso do Sul com o Paraguai.

De lá, eles traziam os entorpecentes em veículos de carga para Cuiabá e distribuíam para pelos menos 50 bocas de fumo na região do Pedregal. Os locais também foram alvos de prisões e apreensões nesta manhã.

Conforme Murta com a prisão e apreensão de hoje, haverá novos desdobramentos para verificar se a quadrilha vendia a droga em outros Estados, por exemplo.

“Existe uma série de ramificação nas quais esses criminosos estão envolvidos e que será investigado. Nosso trabalho, por ora,  foi focado na fonte de abastecimento de comércio de boca de fumo naquela região e conseguimos comprovar durante a investigação que eles eram os responsáveis por trazer grande parte desse material para Cuiabá”, pontuou.