Cuiabá, 19 de Novembro de 2017

Educação

UNIVAG realiza Expoembrio com acadêmicos de cursos da área de saúde

Por: CRISTINA CAVALEIRO
Fonte: DA ASSESSORIA
Proporcionando conhecimento aos alunos de escolas públicas e privadas que visitam o evento

Foto de Da Assessoria

 

 

Acontece hoje, 11, o último dia da Exposição de Modelos da Disciplina de embriologia, a Expoembrio, no Centro Universitário de Várzea Grande (UNIVAG). Uma das principais metas da Exposição é mostrar modelos didáticos de estudos da embriologia. O evento será realizado das 19h às 22h, no Bloco D da Cidade Universitária UNIVAG. A exposição é aberta ao público.

O evento é realizado pela área da saúde do UNIVAG, entre elas está Biomedicina, Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Nutrição e Odontologia.

Uma oportunidade para os acadêmicos colocarem em prática o que aprenderam em sala de aula de uma forma criativa, dinâmica e expositiva é o maior objetivo desse evento. Além de proporcionar conhecimento aos alunos de escolas públicas e privadas que visitam a Expoembrio.

No Bloco D da Cidade Universitária UNIVAG estão expostas maquetes de embriologia produzidas à base de materiais alternativos como massa de bisqui, madeira, isopor, gesso, plásticos e até produtos comestíveis, que é o caso de massas usadas na produção de beijinhos e brigadeiros.

Os visitantes que passarem pela exposição terão a oportunidade de conhecer cada trabalho exposto pelos alunos, que vão explicar o significado de cada um. Entre os temas abordados pelos acadêmicos está a célula gamética feminina e masculina. O sistema reprodutor masculino e feminino, o processo de fecundação. Clivagem gastrulação, neurulação e anexos embrionários. E outras temáticas como ovogênese, espermatogênese.

De acordo com umas das responsáveis pelo evento do GPA de Saúde do Centro Universitário de Várzea Grande, Edilaura Rondon, a Expoembrio servirá de avaliação aos acadêmicos no primeiro bimestre. “Exposições como essa servem para adquirir conhecimentos, não somente profissionais, mas também pessoais, em relação  ao desenvolvimento humano ”, disse Edilaura.

Os acadêmicos dos cursos envolvidos na exposição veem a Expoembrio como troca de conhecimentos. “Essa foi uma forma de conhecer ainda mais o corpo humano e reprodução dele. Conhecendo várias fases do desenvolvimento no feto, a se adaptar e nutrir”, disse Graciela Zermiani , acadêmica do curso de nutrição.

Já para Klysman Lima, acadêmico do curso de enfermagem, trabalhos como esse ajuda no conhecimento em classe, assim ensinar aqueles que não conhecem essa parte do corpo humano.

“O mais interessante é repassar o conhecimento para aqueles que não sabem como funcionam o corpo humano masculinos e femininos do início até a fecundação”, explicou Natania Almeida, acadêmica do curso de fonoaudiologia do UNIVAG.